A lenda de Douglas Quinta Reis

Constantemente, nos últimos 20 anos,  o Brasil se mostra como o país da América latina que mais se destaca na pesquisa, produção e consumo de RPG. Para ter chegado nesse estado, muitos heróis suaram a camisa para fazer o RPG brasileiro realmente grande.

O Falecimento de Douglas Reis nesta sexta feira 13, fez com que percebêssemos como ele mudou e ajudou a mudar a história do RPG no Brasil e nossas histórias como jogadores, influenciando a vida de milhares de pessoas por meio da Editora Devir, trouxe os grandes RPGs ao pais, plantou sementes que irão criar um novo Devir.

A Narrativa da Imaginação como homenagem ao Grande Mestre Douglas, publicará em 2018 uma edição especial de da Revista Mais Dados, abrindo a série História do RPG no Brasil: A Lenda de Douglas Quinta Reis, transcrevendo as entrevistas cedidas a Rafael Carneiro Vasques. Adicionando também alguns breves depoimentos e histórias de amigos de jornada que queiram colaborar.

Segue entrevistas abaixo:

Tambem estamos a divulgar o pedido e homenagem iniciada pelo amigo Jaime Cancela

Um apelo de RPGista para RPGista.

[Editado: 24 de fevereiro, Dia do RPG brasileiro]

Eu não me sinto bem no momento para escrever, então me perdoem por qualquer falta.

Douglas Reis foi uma referência em vários fandons nerds, mas poucos sabem que ele era um entusiasta do RPG. Ele foi um dos fundadores da LUDUS CULTURALIS, um dos idealizadores do Simpósios RPG e Educação e incentivador de dezenas e dezenas de iniciativas sobre o Role Playing Game. Se não tivemos mais RPGs publicados pela Devir não foi por falta de vontade dele, que chegou a distribuir livros de RPG gratuitamente nos antigos Sampa RPG da vida.

Seria necessário um livro enorme para listar os casos envolvendo o nome dessa pessoa maravilhosa a quem devo tanto, então lanço aqui uma proposta a todos os RPGistas e editoras. Jambô, RetroPunk, New Order, Daemon, Redbox, Conclave, Pensamento Coletivo, Aster e todas as outras que não consigo lembrar direito agora, que tal celebrarmos o Dia do RPG Nacional? Em homenagem a quem trouxe GURPS, Vampiro, Lobisomen, Mago, Changeling, Castelo Falkenstein, Cyberpunk 2020, O Um Anel, Pathfinder, Mulheres Machonas e outos títulos, um dia para celebrarmos o RPG nacional, que está mais forte que nunca?

EDITADO:
[E acredito que a data a ser lembrada deva ser 24 de fevereiro, para ser uma data alegre, para se contar muitas histórias e viver inúmeras aventuras!]

O que me dizem? Quem concorda comigo? Quem compartilhará a ideia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *